Flores da Amazônia

                                                                                                                           Flamboyant (Delonix regia)

                Em  2010, o Museu Paraense Emílio Goeld, lançou a obra Flores da Amazônia para você Colorir/ECOLOGIA,  de Paulo Bezerra Cavalcante e Ilustrações de  Antonio Carlos S. Martins. Segundo seus autores, a obra é o “(....) sexto álbum para colorir da Série Infantil do Museu Goeldi tendo como tema as FLORES DA AMAZÔNIA.  Apesar do título - Flores da Amazônia – aparecem algumas flores que não são originárias dessa região, pois a Floresta Amazônica não é das mais ricas e talvez seja a menos rica em plantas de flores vistosas e ornamentais. Esse tipo de flores, comuns em nossos jardins, em sua grande maioria é de procedência estrangeira,aqui introduzidas há séculos, e hoje tão bem aclimatizadas, a ponto de serem consideradas por muitas pessoas como plantas naturais da região. Existem, na verdade, algumas flores amazônicas de rara beleza, como são certas orquídeas e outras flores silvestres em áreas campestres, muito pouco aproveitadas em nossos jardins.”
              MOSQUEIRO AMBIENTAL, utilizando texto da obra, com as  caracterizações das espécies  de flores da Amazônia, muitas com ocorrência na Ilha de Mosqueiro, montou álbum de imagens  fotográficas das flores, já que as mesmas tem importância impar na natureza e na vida das pessoas.  “(...) Do ponto de vista botânico ou científico, a flor é o órgão reprodutor dos vegetais superiores. Do ponto de vista popular, lírico ou poético, a flor simboliza o amor, o belo, enfim, tudo o quanto faz bem ao espírito e, como é notório, não falta jamais nos momentos de alegria ou de tristeza.”

1-ALAMANDA
Allamanda cathartica
Planta escandente ou trepadeira, com abundante folhagem e leite branco. Flor amarelo-canário, com cerca de 10 cm de altura. É planta comum em todas as regiões tropicais, cultivada ou espontânea. Combinada com o riso-prado (bugan-vília), produz um belo efeito decorativo nos jardins.

2-ANTÚRIO
Anthurium SP
Planta terrestre ou epífita, ornamental, espalhada por quase todo o Brasil, muito cultivada em vaso conservado no interior das residências. Flores em inflorescência denominada espádice, protegida por uma grande bráctea chamada espata, de cor vermelha.

3-BANANEIRA BRABA
Heliconia rostrata
Planta acaule com um falso tronco formado pelas bainhas das folhas, chegando a 2 ou 3 metros de altura. Inflorescência pendente formada de brácteas dentro das quais estão pequenas flores. Planta procedente de Rondônia e cultivada no parque Zoobotânico e nos jardins do campus do Museu Goeldi.

4-BARBA-DE-BARATA
Caesalpinia pulcherrima
Arbusto com cerca de 2 a 3 metros, espinhoso. Floresce durante quase todo o ano. As flores são vermelhas com pequenas manchas amarelas. Muitas vezes a planta aparece espontaneamente nos jardins, devido à fácil dispersão e germinação das sementes. Essa espécie é de origem antilhana.

 5-BICO-DE-PAPAGAIO
 Heliconia psitacorum
Planta herbácea acaule, muito comum em lugares descampados, úmidos e arenosos. Flores em pedúnculos longos, cor de abóbora, muito ornamental, ideal para com-por a paisagem de jardins.

 6-BOCA-DE-LOBO
Antirrhinus majus
Plantinha arbustiva e delicada, originária do Velho Mundo, há muito tempo aclimatada em nossos jardins e, às vezes, aparece espontaneamente em terrenos abandonados. A forma da flor lembra o focinho de um animal (lobo), sendo o lábio inferior roxo-escuro ou púrpura.

 7 -CASTANHA-DE-MACACO
Couroupita guianensis
É uma árvore bastante grande das matas de várzea alta do Amazonas. Os frutos são arredondados, volumosos, pesando até 2 quilos. As flores são dispostas em cachos no tronco e nos galhos grossos; corola vistosa em cachos com cerca de 6 a 8 cm de diâmetro, de cor púrpura na parte interna, amarelada por fora e muito perfumada. Cultivada no horto do Museu Goeldi.

8-CATALÉIA
Cattleya violácea
Cataléia é a forma aportuguesada do gênero cattleya ao qual pertencem muitas das
mais belas orquídeas da região amazônica. São plantas de pequeno porte e epífitas,
isto é, vivem sobre outras plantas que lhes servem de suporte e, por isso, muitas
vezes chamadas, impropriamente, de parasitas. Essa orquídea é comum na bacia do rio
Negro onde já encontramos exemplares com até 15 flores, formando um lindo buquê de
cor violácea.

9-CATASSETO
 Catassetum macrocarpum
Tipo de orquídea epífita que cresce nos ramos e troncos mais ensolarados das árvores. Flores de formato curioso, dotadas de um perfume próprio, capazes de atrair aqueles grandes insetos conhecidos por "mamangabas", os quais se encarregam da polinização cruzada dessas orquídeas. As flores são amarelo-esverdeadas.

                                                                          Orientação da esquerda para direita - 1 a 9

10-CEBOLA BRABA
Hipeastrum equestre
Plantinha herbácea, terrestre, com o caule subterrâneo e bulboso em forma de uma cebola. Flores grandes, afuniladas, vermelhas, muito vistosas. O bulbo dessa planta é tido como venenoso, podendo até causar a morte de pessoas. A planta é dispersa por toda a região e encontrada em áreas campestres, arenosas, às vezes, úmidas.
11-CEBOLA-DA-MATA
Clusia insignis
Planta epífita das árvores altas da mata, geralmente muito difícil de alcançá-la.
Flores com quatro pétalas brancas por fora e vermelho-escuras por dentro, com
exótico e agradável perfume. Planta comum por toda a região amazônica.

12-CIPÓ-DE-LEITE
 Mandevilla hirsuta
Cipó fino, leitoso e revestido de pêlos, ocasionalmente encontrado na capoeira secundária por
toda região. Flor tubulosa, amarelo-alaranjada, com a parte interna do tubo cor de vinho
tinto.

13-FAVEIRA-DO-IGAPÓ
Parkia auriculata
Pequena árvore dos igapós e beira de rios, comum na bacia do rio Negro. As flores
são pequeníssimas, compactamente agrupadas em uma inflorescência ovalada,
marrom-escuras, em cuja base se forma um tufo de filete (estaminódios) de cor
escarlate. A forma do conjunto lembra uma chupeta.

14-FLOR SILVESTRE
Rhabdadenia macrostoma
Cipó de pequeno porte, com folhas opostas e abundante leite branco e viscoso,
geralmente crescendo nas áreas de vegetação baixa e aberta, às vezes na várzea.
Flor tubulosa, de cor rósea.

15-GIRASSOL
 Helianthus annuus
Planta anual de até 2 ou 3 metros de altura, originária da América do Norte e cultiva-
da em todo o mundo pela importância de suas sementes na indústria de óleo e na ali-
mentação de aves; muitas vezes cultivada, também, como planta ornamental. O que
muita gente chama de flor, no girassol nada mais é do que uma inflorescência do tipo capí-
tulo; é um disco marrom formado de centenas de pequenas flores, circundado por segmen-
tos amarelos chamados lígula.

16-JURUBEBÃO
Solanum grandiflorum
Planta arbustiva, lenhosa, de até 3 metros de altura, cheia de espinhos curtos e afiados. Flores com a corola inteira roxo-azulada, com o centro amarelo, de rarabeleza. Planta comum em quase todas as capoeiras da região.

17-LAVADEIRA
Catharanthus roseus
Espécie originária de Madagascar e bem aclimatada em nossos jardins. Arbustinho de
30 a 40 cm, quase sempre coberto de delicadas flores lilases, sem perfume.

18-MAMORANA
Pachira aquática
Pequena árvore de 4 a 8 metros, em alguns lugares utilizada na arborização. Flores grandes, vistosas, com o cálice tubular verde-castanho; corola com as pétalas livres, amareladas, com cerca de 25 a 30 cm de comprimento, enroladas em espiral. Estames com cerca de 20 a 25 cm vermelhos, constituindo a parte mais vistosa da flor.Planta comum nas áreas alagadas da periferia de Belém.

                                                                         Orientação da esquerda para direita - 10 a 18


19-MARACUJÁ-DO-MATO
Passiflora coccínea
Planta trepadeira com gavinhas, geralmente crescendo nas áreas campestres , capoeiras e beira da mata. Flores com cerca de 10 cm de diâmetro, vermelhas, muito atrativas.

20-MUCUNA
Dioclea virgata
Cipó lenhoso, volúvel, freqüente nas capoeiras de toda a região. Flores roxas, muitovistosas em longas inflorescências racemosas.

21-PAPO-DE-PERU
Aristolachia SP
Planta trepadeira dispersa por todo o Brasil, em matas, capoeiras e cerrados. A característica mais notável dessas plantas encontra-se na forma extravagante e no tamanho de suas flores. Elas têm a forma de um profundo jarro onde se processa a polinização pelos insetos retidos no bojo do vaso. Esses insetos são atraídos pelo cheiro fétido parecido com carniça. Algumas flores têm lábios inferiores medindo até 60 cm por 40 cm e são de cor esverdeada com manchas roxas.

22-PAPOULA
Hibiscus rosa-sinensis
Originária da China, é uma das plantas ornamentais mais familiares em nossos jardins. Suas flores grandes e vermelhas produzem um belo contraste com o verde-escuro de sua folhagem. Fora da Amazônia é conhecida como "mimo-de- vênus", "rosa-da-china", "graxa-de-soldado" etc.
23-PATA-DE-BOI
Bauhinia SP
Arbusto meio escandente de 3 a 4 metros de altura, com as folhas em formato de casco de boi e com flores róseas semelhantes a uma "cataléia".

24-QUARESMEIRA
Tibouchina semidecandra
Arbusto muito ramificado, chegando até 3 metros de altura, com folhas macias, aveludadas. Flores dispostas em panículas terminais, com cerca de 40 cm, com a corola roxa. Espécie nativa do sudeste do Brasil, largamente cultivada nos jardins. Floração (no ambiente natural) em fevereiro e abril, época da quaresma, daí o nome pelo qual também é conhecida "flor-da-quaresma".

25-QUINA
Quassia amara
Arbusto tradicionalmente conhecido pelas suas propriedades medicinais e, por isso, largamente cultivado em toda a América tropical. Suas flores são, contudo, ornamentais, de um vermelho muito vivo, razão pela qual a planta é muitas vezes colocada nos jardins.

26-RISO-DO-PRADO
Bougainville spectabilis
Também conhecida como "três marias" e "buganvília" é uma planta lenhosa,trepadeira, cheia de espinhos rígidos. Originária do Brasil, é comum em quase todos os jardins públicos e particulares. Floração abundante, cada flor com uma bráctea vermelha ou lilás e outras cores, de belo efeito decorativo.

27-SALSA
Ipomoea asarifolia
Planta rastejante, às vezes meio ereta com leite viscoso. Flor afunilada de 8 cm de,altura, de cor lilás, muito vistosa. Essa planta é dispersa por quase todas as regiões tropicais do mundo nas áreas campestres. Floresce durante a maior parte do ano.

                                                                                                 Orientação da esquerda para direita - 19 a 27
28-SALSA-DE-CARAJÁS
Ipomoea cavalcantei
Arbustinho escandente com flores de um vermelho intenso, muito vistosas. Essa espécie é somente encontrada na serra dos Carajás, crescendo sobre o minério de ferro. Devido à beleza das flores, seu cultivo vem sendo tentado no campus doMuseu Goeldi.

29-TOÉ
Datura insignis
Planta arbustiva com flores afuniladas, de 12 a 15 cm de altura, de com levemente rósea. As folhas são tóxicas e alucinógenas e, por isso, empregadas em certos rituais, pajelança, macumba etc, entre indígenas ou mesmo civilizados. A planta é cultivada por toda a Amazônia, nos altos rios, até Iquitos.

30-TURNERA
Turnera ulmifolia
Arbustinho com cerca de 60 cm de altura, cultivado, ou surgindo espontaneamente nos jardins, quintais ou terrenos abandonados. Durante quase todo o ano, cobre-se de flores amarelo-claras, com o centro roxo-escuro, de belo efeito decorativo.

31-VITÓRIA RÉGIA
Victoria amazônica
É uma das maiores plantas aquáticas da região amazônica, cujas folhas circulares e flutuantes podem atingir mais de 2 metros de diâmetro. A flor mede até 30 cm de diâmetro e sua abertura tem início ao pôr-do-sol. Durante a noite, as pétalas são alvas, mas tornam-se vermelhas no dia seguinte, sob ação dos raios solares.

32-ZINA
Zinnia elegans
Planta ereta de até 1,5 m de altura, originária do México, muito cultivada em nossos jardins. Flores reunidas em capítulo, semelhantes a um pequeno girassol, ostentando as mais variadas cores.

                                                                                                Orientação da esquerda para direita - 28 a 32

Fonte:
Imagens: